1 de abr. de 2021

Aviagen debate os desafios do manejo inicial em frangos de corte durante o Simpósio Brasil Sul de Avicultura

Rodrigo Tedesco

O médico-veterinário Rodrigo Tedesco, que fará a palestra “Manejo inicial em frangos de corte: os desafios no manejo inicial do frango de corte moderno frente às novas tecnologias de criação” no Simpósio Brasil Sul de Avicultura (SBSA)

CAMPINAS, Brasil – A Aviagen®, empresa global de genética avícola, participará do 21º Simpósio Brasil Sul de Avicultura (SBSA), a se realizar entre os dias 06 e 08 de abril. Em duas décadas, esta é a primeira edição na qual o evento será 100% on-line ainda devido à pandemia da COVID-19.

No dia 08, às 13:30h, Rodrigo Tedesco, médico-veterinário e Supervisor Regional de Serviços Técnicos no Brasil, especialista em frangos de corte da Aviagen, apresentará a palestra “Manejo inicial em frangos de corte: os desafios no manejo inicial do frango de corte moderno frente às novas tecnologias de criação”.

O frango de corte moderno apresenta potencial genético superior para o desempenho zootécnico. Há, contudo, vários fatores que podem limitar a total expressão deste potencial, dentre os quais as boas práticas de manejo. Para tanto, a fase inicial requer cuidados redobrados, principalmente porque é o momento mais importante do ciclo de vida do frango. O crescimento da ave é um processo dinâmico, regulado por uma série de fatores intrínsecos e extrínsecos ao animal, tais como manejo, controle de temperatura, de umidade, ventilação e qualidade de ar.

Além de fatores genéticos, sanidade e de nutrição, as novas tecnologias de criação são outro ponto de cuidado. “Atualmente os avicultores contam com aviários de pressão negativa, com melhor qualidade de vedação, melhor isolamento térmico, capacidade adequada de aquecimento, proporcionando assim o correto controle das variáveis ambientais para garantir o desenvolvimento do frango”, explica o médico-veterinário.

O cuidado com a ventilação é um aliado do controle ambiental adequado para as aves. O correto manejo garantirá a melhora nos resultados zootécnicos e a melhor expressão do potencial genético das aves. A ventilação mínima é a principal ferramenta para o fornecimento adequado de um nível mínimo de troca de ar. É indicada para aves jovens e o manejo correto de ventilação mínima vai garantir os níveis de amônia, de CO², poeira e umidade recomendadas.

“Conforme as aves ficam maiores, aumentam o consumo de alimento e o volume de carne produzida, com isso há o aumento na produção de calor dentro do aviário, de forma que a ventilação mínima não é mais suficiente para manter a qualidade do ambiente. Nesse momento é preciso optar pela ventilação de transição”, aponta Tedesco, que aprofundará esses manejos durante apresentação no SBSA.

Além da palestra, a Aviagen também terá um stand virtual no evento – em Português e Espanhol. “Para nós é muito importante apoiar o SBSA, que é comprovadamente um dos principais eventos técnicos latino-americanos”, disse o gerente de Marketing da Aviagen, Fábio Carnevale.

Mais detalhes sobre o evento em 21º Simpósio Brasil Sul de Avicultura e 12ª Brasil Sul Poultry Fair 2021 - ONLINE - Nucleovet.